Google+ Followers

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Alimentos para ajudar no tratamento e na prevenção da depressão


Alimentação Mudanças na dieta ajudam a melhorar a saúde e o humor26/01 às 11h54 O Globo

RIO - Alguns alimentos têm o poder de melhorar a digestão, aumentar a qualidade do sono e podem até mesmo deixar você mais feliz. Pesquisas feitas por universidades como Harvard e Johns Hopkins, nos Estados Unidos, mostram que aumentar a ingestão de fibras e diminuir o consumo de gorduras e álcool pode diminuir as dores de cabeça. Já o consumo de pratos ricos em ômega 3, presente no salmão, na sardinha e no atum, afasta as chances de depressão. Confira a lista dos alimentos que fazem bem ao corpo e aumentam a felicidade:
Alimentos ricos em vitamina B12 e ácido fólico - Entram nesta lista carnes magras, as folhas verdes escuras como o brócolis e o espinafre, os ovos e as leguminosas como o feijão e o grão de bico. Segundo pesquisadores da King´s College, em Londres, as duas vitaminas ajudam a equilibrar o sistema nervoso central e afastam o risco de demências. Em países onde a ingestão de B12 e ácido fólico é alta, o risco de depressão é baixo.
Frutas e verduras - Donos de uma concentração altíssima de vitaminas, minerais e antioxidantes, estes alimentos regulam o intestino e fornecem energia. Pesquisas indicam que pessoas que consomem frutas e verduras todos os dias são 11% mais saudáveis do que aqueles que não têm o hábito de comê-las com regularidade. O ideal é comer de 400 a 600 gramas (ou dois copos de requeijão cheios) de legumes e frutas todos os dias.
Alimentos ricos em selênio - Poderoso antioxidante, o selênio protege as funções cerebrais e podem diminuir a depressão ligada ao envelhecimento. Basta comer uma castanha-do-pará por dia para suprir a necessidade deste mineral. Além da castanha, também está presente nos grãos integrais, nos feijões, nas carnes magras, nos laticínios desnatados e nos frutos do mar.

Peixe -Comer peixe no mínimo três vezes por semana traz uma série de benefícios para a saúde. Homens e mulheres com uma dieta rica em ômega 3, encontrado no salmão, na sardinha, na truta e no atum, têm menos sintomas depressivos, indica um estudo da Universidade do Tennessee, EUA.

Chocolate amargo -Capaz de aumentar a produção de endorfinas, o chocolate amargo também é rico em polifenois que protegem as artérias. Um estudo feito na Noruega mostrou que homens que comiam uma barra de chocolate amargo diariamente tinham um risco menor de infartos . Mas, para obter os efeitos benéficos sem engordar, basta comer uma barra pequena (30 gramas).

Alimentos ricos em vitamina D - Mulheres com pouca vitamina D no organismo têm mais tensão pré-menstrual (TPM), são mais ansiosas e costumam ser mais deprimidas. A vitamina D é sintetizada pelo contato dos raios solares com a pele, mas a alimentação também pode dar uma ajudinha. Fígado de boi, queijos e gema de ovo são ricos na substância. Vale a pena também investir em alimentos fortificados com a vitamina D, principalmente leite e iogurte, sucos e cereais integrais.

Aqui fica esta referência sobre os alimentos que podem ajudar na depressão.
Não é nada de novo, tem sido referido por diversos estudos em diversos sites e revistas e mesmo livros mais especializados.
Nunca comi castanha do pará, mas ando sempre a ver se encontro em supermercados e lojas de gourmet, se alguém souber agradecia que me dissesse onde poderei comprar.
Quanto ao chocolate quantos de nós não nos sentimos mais confortados depois de uns quadradinhos da dita substância?!...

Seguidores

Livros cuja leitura recomendo

  • Sexo e Amor, de Francesco Alberoni, Bertrand Editora
  • Recriar o Seu Ser, Neale Donald Walsch
  • O Profeta, Khalil Gibran
  • O Poder do Agora, Eckhart Tolle, Pergaminho
  • O Feminino Reencontrado, de Nathalie Durel, Ariana Editora
  • O Cavaleiro da Armadura Enferrujada, de Robert Fisher, Editorial Presença
  • O Caminho Menos Percorrido, de M. Scott PecK, colecção xix
  • As Vozes de Marraquexe, Elias Canetti

Depressão - quando como porquê...

A criação deste Blog advém de, ao longo de vários anos, ter percepcionado que em Portugal esta doença é quase tabu; envolvida pela vergonha de quem padece e pelo desconhecimento político da sua real dimensão e implicações, bem como das respostas existentes para o seu tratamento... Apenas pretendo abrir um espaço para a interrogação a denúncia a informação... Talvez dessa troca de ideias resulte benefício para alguém ( doente, familiar, amigo... ) como, por exemplo, a identificação do seu sofrimento, o início da compreensão e da aceitação da depressão como doença, um incentivo para a procura de mais conhecimentos, um incentivo para predir ajuda na sua cura ou na melhor qualidade de vida, ou o renovar da esperança perdida... Bem hajam! os que quiserem e não tiverem medo ou vergonhar de comentar: criticar, sugerir, informar, questionar, contar, interrogar-se, lamentar-se...