Google+ Followers

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

A actual crise económica e a depressão

A actual crise económica, nacional e mundial, veio colocar muitas pessoas no pântano da depressão que não estava escrito que viriam a ser potenciais vítimas desta doença.
Até há algum tempo os menos dados a sensibilidades e que se encontravam na camada social que lutava diariamente apenas pela satisfação das necessidades primárias estava na sua maioria mais arredada desta doença.
Só que a perda de emprego, o agravamento grave da situção económica das famílias, a precaridade generalizada do emprego veio colocar uma ansiedade acrescida no dia a dia das suas, com efeito no seu sono, nas suas relações pessoais, na sua sáude...

Este fenómeno terá consequências a longo prazo na sociedade, na qualidade de vida das pessoas, na produtividade, na despesa pública...

Seguidores

Livros cuja leitura recomendo

  • Sexo e Amor, de Francesco Alberoni, Bertrand Editora
  • Recriar o Seu Ser, Neale Donald Walsch
  • O Profeta, Khalil Gibran
  • O Poder do Agora, Eckhart Tolle, Pergaminho
  • O Feminino Reencontrado, de Nathalie Durel, Ariana Editora
  • O Cavaleiro da Armadura Enferrujada, de Robert Fisher, Editorial Presença
  • O Caminho Menos Percorrido, de M. Scott PecK, colecção xix
  • As Vozes de Marraquexe, Elias Canetti

Depressão - quando como porquê...

A criação deste Blog advém de, ao longo de vários anos, ter percepcionado que em Portugal esta doença é quase tabu; envolvida pela vergonha de quem padece e pelo desconhecimento político da sua real dimensão e implicações, bem como das respostas existentes para o seu tratamento... Apenas pretendo abrir um espaço para a interrogação a denúncia a informação... Talvez dessa troca de ideias resulte benefício para alguém ( doente, familiar, amigo... ) como, por exemplo, a identificação do seu sofrimento, o início da compreensão e da aceitação da depressão como doença, um incentivo para a procura de mais conhecimentos, um incentivo para predir ajuda na sua cura ou na melhor qualidade de vida, ou o renovar da esperança perdida... Bem hajam! os que quiserem e não tiverem medo ou vergonhar de comentar: criticar, sugerir, informar, questionar, contar, interrogar-se, lamentar-se...