Google+ Followers

segunda-feira, 15 de março de 2010

Patologia Borderline ou Patologia Limite da Personalidade

Patologia Borderline ou Patologia Limite da Personalidade

um texto da Drª Maria de Jesus Candeias

publicado em
http://maria-jesuscandeias.blogspot.com/2010/03/patologia-borderline-ou-patologia.html

que passo a transcrever na integra por considerar que é muito importante que seja divulgado e ser demais reconhecida a competência da sua autora

"
Este transtorno de personalidade está a tornar-se um problema psicossocial grave.
A mudança nas relações familiares, a alteração de papéis parentais, a falta de tempo dos progenitores entre outros aspectos são apontados como causas para o aumento desta estrutura de personalidade.
As pessoas com este tipo de patologia apresentam, forma geral , pelos menos 3 dos seguintes sintomas :

Angustia,

incapacidade para sentir,

falta de limites,

desrespeito pelos outros,

comportamento anti-social,

depressão com sentimentos de solidão e vazio,

intolerância à frustração,

comportamentos automutilantes (cortes, queimaduras feitos ao próprio),

anedonia (incapacidade de sentir prazer),

comportamentos de risco,

consumos de drogas e álcool,

promiscuidade sexual,

incapacidade para o trabalho ( ou encontrar a profissão certa para si)

fobias,

obsessões e compulsões,

dissociações,

surtos psicóticos breves,

entre outros sintomas.

O Borderline apresenta transtornos em quase todas as áreas da sua vida principalmente nas relações interpessoais, na profundidade (qualidade) dos sentimentos, na identificação e na empatia, na atitude social, no controle da vontade (volição), na capacidade para o trabalho, na necessidade de prazer, na vida sexual, no controle das emoções, na capacidade de fantasiar, na elaboração e valoração dos ideais e no planeamento dos objectos de vida.
São pessoas com grandes dificuldades ao nível dos relacionamentos interpessoais, extremamente desconfiadas.
Este tipo de transtorno é mais frequente no sexo feminino e a sua incidência tende a aumentar.
Cada vez mais pessoas com este tipo de transtorno procuram os serviços dos psicoterapeutas, que pode ter sintomas mais ou menos graves mas cuja queixa principal é a incapacidade de funcionar e o sentimento de vazio.
O surgir desta patologia é instável, começando normalmente esse distúrbio no início da idade adulta, com episódios de sério descontrole afectivo e impulsivo.
O prejuízo resultante desse transtorno e o risco de suicídio são maiores nos anos iniciais da idade adulta e diminuem gradualmente com o avanço da idade.

Durante a faixa etária entre os 30 e os 40 anos, a maioria dos indivíduos com este tipo de personalidade adquire maior estabilidade em seus relacionamentos e funcionamento profissional.
Também se sabe que o Transtorno da Personalidade Borderline é cerca de cinco vezes mais frequente em famílias cujos pais também tem esse tipo de transtorno.
O Borderline apresenta transtornos em quase todas as áreas da sua vida principalmente nas relações interpessoais, na profundidade (qualidade) dos sentimentos, na identificação e na empatia, na atitude social, no controle da vontade (volição), na capacidade para o trabalho, na necessidade de prazer, na vida sexual, no controle das emoções, na capacidade de fantasiar, na elaboração e valoração dos ideais e no planeamento dos objectos de vida.
As relações com o outro são superficiais, carecendo de profundidade de sentimentos, de constância, empatia e consideração pelos demais.
Estas pessoas carregam dentro si um sofrimento enorme, mas como a sua forma de ultrapassar as suas crises é agindo, como por exemplo, saindo de imediato, procurando pessoas para não estar só, ir às compras, consumir álcool, outros até drogas, podem passar despercebidos, como se rapidamente resolvessem todos os seus problemas.
Muitos destes pacientes têm que ser ajudados pela família na procura de ajuda psicoterapêutica, uma vez que a maioria não reconhece que tem um problema.
Porém, estes pacientes precisam bastante de ser ajudados e a forma de se apaziguarem internamente e externamente é através da psicoterapia."
Publicada por PSICÓLOGA CLÍNICA e PSICOTERAPEUTA. MEMBRO EFECTIVO DA ORDEM DOS PSICÓLOGO.MEMBRO DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE PSICOTERAPIA PSICANALÌTICA. Carteira Prof. nº 10/1994/107 em Domingo, Março 14, 2010


Seguidores

Livros cuja leitura recomendo

  • Sexo e Amor, de Francesco Alberoni, Bertrand Editora
  • Recriar o Seu Ser, Neale Donald Walsch
  • O Profeta, Khalil Gibran
  • O Poder do Agora, Eckhart Tolle, Pergaminho
  • O Feminino Reencontrado, de Nathalie Durel, Ariana Editora
  • O Cavaleiro da Armadura Enferrujada, de Robert Fisher, Editorial Presença
  • O Caminho Menos Percorrido, de M. Scott PecK, colecção xix
  • As Vozes de Marraquexe, Elias Canetti

Depressão - quando como porquê...

A criação deste Blog advém de, ao longo de vários anos, ter percepcionado que em Portugal esta doença é quase tabu; envolvida pela vergonha de quem padece e pelo desconhecimento político da sua real dimensão e implicações, bem como das respostas existentes para o seu tratamento... Apenas pretendo abrir um espaço para a interrogação a denúncia a informação... Talvez dessa troca de ideias resulte benefício para alguém ( doente, familiar, amigo... ) como, por exemplo, a identificação do seu sofrimento, o início da compreensão e da aceitação da depressão como doença, um incentivo para a procura de mais conhecimentos, um incentivo para predir ajuda na sua cura ou na melhor qualidade de vida, ou o renovar da esperança perdida... Bem hajam! os que quiserem e não tiverem medo ou vergonhar de comentar: criticar, sugerir, informar, questionar, contar, interrogar-se, lamentar-se...