Google+ Followers

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

ESCUTA O TEU CORPO

"Escuta o teu Corpo" é o título de um livro de Lise Bourbeau, publicado em Portugal pela editora Pergaminho cuja leitura vale a pena, não tanto pelo seu todo mas porque do princípio ao fim insiste na necessidade de aprendermos a ler os sinais que o nosso corpo nos dá sobre o nosso estado de saúde físico e mental.
Hoje já sei ler ( quase sempre) os sinais que o meu corpo de dá.
Mas nem sempre foi assim e aprendi à custa da repetição de sinais e depois de fiar doente, por mais do que uma doença.
Aprendi, por exemplo, que se a minha tensão arterial começa a subir e os meus pés a ficarem inchados tal significa que nos últimos dias não bebi água suficiente - beber água para mim é um sacrifício... mas depois a doença é pior.
E muitas outros sinais e com consequências físicas que me aconteceram ao longo da vida, alguns que só anos passados entendi. Mas não só cnsequências físicas...

Hoje sei que não soube ler os sinais que o meu corpo me deu sobre a eminência da depressão antes de ela existir. O meu estomâgo e a minha cabeça através da dor manifestaram-se. Nem eu soube nem profissionais que me assistiram e até eram muito bons na sua especialidade... A formação especializadíssima pode impedir uma visão global da situação, ver de outro modo.
E nem todos os profissionais da saúde psiquica ligam muito aos sinais do corpo...

Seguidores

Livros cuja leitura recomendo

  • Sexo e Amor, de Francesco Alberoni, Bertrand Editora
  • Recriar o Seu Ser, Neale Donald Walsch
  • O Profeta, Khalil Gibran
  • O Poder do Agora, Eckhart Tolle, Pergaminho
  • O Feminino Reencontrado, de Nathalie Durel, Ariana Editora
  • O Cavaleiro da Armadura Enferrujada, de Robert Fisher, Editorial Presença
  • O Caminho Menos Percorrido, de M. Scott PecK, colecção xix
  • As Vozes de Marraquexe, Elias Canetti

Depressão - quando como porquê...

A criação deste Blog advém de, ao longo de vários anos, ter percepcionado que em Portugal esta doença é quase tabu; envolvida pela vergonha de quem padece e pelo desconhecimento político da sua real dimensão e implicações, bem como das respostas existentes para o seu tratamento... Apenas pretendo abrir um espaço para a interrogação a denúncia a informação... Talvez dessa troca de ideias resulte benefício para alguém ( doente, familiar, amigo... ) como, por exemplo, a identificação do seu sofrimento, o início da compreensão e da aceitação da depressão como doença, um incentivo para a procura de mais conhecimentos, um incentivo para predir ajuda na sua cura ou na melhor qualidade de vida, ou o renovar da esperança perdida... Bem hajam! os que quiserem e não tiverem medo ou vergonhar de comentar: criticar, sugerir, informar, questionar, contar, interrogar-se, lamentar-se...