Google+ Followers

quarta-feira, 4 de maio de 2011

A Mudança

Julgar que os outros irão mudar porque nós assim o desejamos é uma ilusão.
Ninguém se irá modelar de forma a preencher inteiramente o nosso imaginário ou o modelo que projectámos uma determinada pessoa. por vezes essa pessoa nem corresponde minimamente à forma como inicialmente a encontramos.
Isso não quer dizer que as pessoas não mudem!
Mudam, podem mudar, melhorar os seus defeitos, curar os seus traumas, mudar os seus hábitos etc. Mas fá-lo-ão apenas quando elas interiormente o desejarem e de acordo com aquele que é o modelo desejado por elas e nunca de acordo com o modelo que imaginamos ou desajamos.
Aliás, nem de outro modo faria sentido, porque senão éramos bonecos nas mãos uns dos outros.
Mas isso quer dizer também que nós só mudaremos realmente quando interiormente o desejarmos e não porque tal nos é aconselhado, exigido, pedido etc.
Desejá-lo pressupõe ter consciência de quem somos realmente, do nosso valor, do nosso direito a, nomeamente, ser como somos...

Penso que a mudança pressupõe sempre um acto de amor por nós póprios, libertando-nos de tabus, traumas, ilusões, dependências... 

Seguidores

Livros cuja leitura recomendo

  • Sexo e Amor, de Francesco Alberoni, Bertrand Editora
  • Recriar o Seu Ser, Neale Donald Walsch
  • O Profeta, Khalil Gibran
  • O Poder do Agora, Eckhart Tolle, Pergaminho
  • O Feminino Reencontrado, de Nathalie Durel, Ariana Editora
  • O Cavaleiro da Armadura Enferrujada, de Robert Fisher, Editorial Presença
  • O Caminho Menos Percorrido, de M. Scott PecK, colecção xix
  • As Vozes de Marraquexe, Elias Canetti

Depressão - quando como porquê...

A criação deste Blog advém de, ao longo de vários anos, ter percepcionado que em Portugal esta doença é quase tabu; envolvida pela vergonha de quem padece e pelo desconhecimento político da sua real dimensão e implicações, bem como das respostas existentes para o seu tratamento... Apenas pretendo abrir um espaço para a interrogação a denúncia a informação... Talvez dessa troca de ideias resulte benefício para alguém ( doente, familiar, amigo... ) como, por exemplo, a identificação do seu sofrimento, o início da compreensão e da aceitação da depressão como doença, um incentivo para a procura de mais conhecimentos, um incentivo para predir ajuda na sua cura ou na melhor qualidade de vida, ou o renovar da esperança perdida... Bem hajam! os que quiserem e não tiverem medo ou vergonhar de comentar: criticar, sugerir, informar, questionar, contar, interrogar-se, lamentar-se...