Google+ Followers

terça-feira, 9 de setembro de 2008

O que é a depressão?

Não se confunde com um desgosto, nem é uma mera melancolia!
Todos conhecemos pessoas que perdem um familiar muito próximo e durante algum ficam tristes, choram, não têm gosto na realização das tarefas, perdem o apetite mas que pouco a pouco vão assumindo a realização das suas tarefas, aceitando o acontecido, retomando a sua vida... Outras pessoas-B há que passados meses não se levantam, só choram, não têm vontade para nada nem para cuidar dos outros filhos, saiem da cama para o sofá e dali para a cama onde ficam às escuras com a cabeça tapada, não desejam estar com ninguém, têm dores e um nó no peito ou na garganta, sentem-se sózinhas e incompreendidas... e à sua volta ninguém sabe o que fazer.
As pessoas A sofreram apenas um desgosto, as pessoas B entraram em depressão...
A classificação com depressão é complexa, pode assemelhar-se nos sintomas a outras patologias e só um ténico de saúde, médico de família, psiquiatra, psicólogo... o poderá fazer correctamente.
E não há erro maior que pormo-nos a qualificar o nosso estado como depressão e a tomar os anti-depressivos ou calmantes dum amigo! Primeiro porque pode não ser depressão mas até uma doença com origem apenas física e depois porque a nossa depressão possivelmente é diferente, o nosso corpo é diferente e carece de outro tipo de tratamento... Não se pode brincar com os antidepressivos, não são meros cházinhos que se não curam também não matam.

Seguidores

Livros cuja leitura recomendo

  • Sexo e Amor, de Francesco Alberoni, Bertrand Editora
  • Recriar o Seu Ser, Neale Donald Walsch
  • O Profeta, Khalil Gibran
  • O Poder do Agora, Eckhart Tolle, Pergaminho
  • O Feminino Reencontrado, de Nathalie Durel, Ariana Editora
  • O Cavaleiro da Armadura Enferrujada, de Robert Fisher, Editorial Presença
  • O Caminho Menos Percorrido, de M. Scott PecK, colecção xix
  • As Vozes de Marraquexe, Elias Canetti

Depressão - quando como porquê...

A criação deste Blog advém de, ao longo de vários anos, ter percepcionado que em Portugal esta doença é quase tabu; envolvida pela vergonha de quem padece e pelo desconhecimento político da sua real dimensão e implicações, bem como das respostas existentes para o seu tratamento... Apenas pretendo abrir um espaço para a interrogação a denúncia a informação... Talvez dessa troca de ideias resulte benefício para alguém ( doente, familiar, amigo... ) como, por exemplo, a identificação do seu sofrimento, o início da compreensão e da aceitação da depressão como doença, um incentivo para a procura de mais conhecimentos, um incentivo para predir ajuda na sua cura ou na melhor qualidade de vida, ou o renovar da esperança perdida... Bem hajam! os que quiserem e não tiverem medo ou vergonhar de comentar: criticar, sugerir, informar, questionar, contar, interrogar-se, lamentar-se...