Google+ Followers

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Incêndios

Os acontecimentos destes dias, em Portugal, deviam dar-nos força interior e fazer-nos sentir que, afinal, a nossa dor é pequena face à de todos aqueles que perderam família, amores, casas, fábricas, pinhais, animais.... Devia conseguir agarrar-nos ao sabor da vida e trazer-nos à toda e ao convívio da realidade, com enorme vontade de fazer e sentir bem estar.
Devia, se a tristeza da pessoa deprimida derivasse de uma racional avaliação da sua condição de vida.
Mas não é assim, houve um tempo em que eu dizia que tinha tudo e estava deprimida. Na verdade, perdi muito desse tudo e continuei com depressão. E sei que por mais que viesse a ter não é por aí que a depressão me deixará ou a conseguirei mandar embora.
Na verdade, o mal estar alheio não melhora o humor da pessoa com depressão! Melhora sim o humor das pessoas invejosas que não têm depressão.
Os acontecimentos recentes deixam-nos ainda mais deprimidos, mais tristes, numa enorme sensação de impotência para mudar seja o que for. A Tv, os jornais, as conversas são um bombardear constante do negativo... Para quem tem depressão deixo o meu conselho - defendam-se o mais possível! Não fiquem horas e horas a ver notícias sobre este assunto, assistir a debates televisivos, a uma feira de vaidades com a mira nas eleições... Usem o positivo!!! Se têm como ajudar: Ajudem quem perdeu tudo!
Há sempre como ajudar - dinheiro, bens, palavras de conforto, abraços... Tudo isso faz-nos bem por dentro e faz bem a quem precisa. Mesmo com depressão pode tentar/fazer algo que faça a diferença.
Prove que é melhor e mais capaz do que se julgava!

Seguidores

Livros cuja leitura recomendo

  • Sexo e Amor, de Francesco Alberoni, Bertrand Editora
  • Recriar o Seu Ser, Neale Donald Walsch
  • O Profeta, Khalil Gibran
  • O Poder do Agora, Eckhart Tolle, Pergaminho
  • O Feminino Reencontrado, de Nathalie Durel, Ariana Editora
  • O Cavaleiro da Armadura Enferrujada, de Robert Fisher, Editorial Presença
  • O Caminho Menos Percorrido, de M. Scott PecK, colecção xix
  • As Vozes de Marraquexe, Elias Canetti

Depressão - quando como porquê...

A criação deste Blog advém de, ao longo de vários anos, ter percepcionado que em Portugal esta doença é quase tabu; envolvida pela vergonha de quem padece e pelo desconhecimento político da sua real dimensão e implicações, bem como das respostas existentes para o seu tratamento... Apenas pretendo abrir um espaço para a interrogação a denúncia a informação... Talvez dessa troca de ideias resulte benefício para alguém ( doente, familiar, amigo... ) como, por exemplo, a identificação do seu sofrimento, o início da compreensão e da aceitação da depressão como doença, um incentivo para a procura de mais conhecimentos, um incentivo para predir ajuda na sua cura ou na melhor qualidade de vida, ou o renovar da esperança perdida... Bem hajam! os que quiserem e não tiverem medo ou vergonhar de comentar: criticar, sugerir, informar, questionar, contar, interrogar-se, lamentar-se...